Meu caminho até a Argentina

26/12/2010 – Domingo

Com um atraso de quatro dias no cronograma inicial, finalmente consegui deixar para trás a cidade de Salvador (BA) e iniciar a Expedição Votiva Argentina, dois meses após a madrugada em que foi timidamente concebida.

Às doze horas em ponto daquele domingo, parti sozinho de carro até Buenos Aires, capital da Argentina, onde encontraria minha esposa Thaís, no dia 30 ou 31 de dezembro. Naquele instante, o plano já não era mais pernoitar em Montes Claros (MG), já que seis horas úteis se haviam perdido. Pretendi, naquele e em todos os outros dias, dirigir por, no máximo mil quilômetros ou doze horas de jornada. Na estrada não há segunda chance para desatenção ou cansaço. Então melhor respeitar os limites do corpo e manter a cabeça sempre atenta, dentro das condições de prudência que o ambiente nos exige.

Assim, decidi fazer a primeira pausa em Vitória da Conquista (BA), onde cheguei pouco antes das 19h. Foram 552km, com a média de 82km/h, numa BR-116 pedagiada e com pouco tráfego de veículos pesados.

27/12/2010 – 2ª feira

Saí da cidade de Vitória da Conquista às 08:15h, com a necessidade de compensar a defasagem de 450km do dia anterior. Mantive a rota inicial do território mineiro, passando por Salinas, Montes Claros e Belo Horizonte. Pela primeira vez, no meio daquela tarde, enfrentei as fortes chuvas que tradicionalmente ocorrem na região a essa época do ano. Chuva e muita neblina em alguns pontos, entre Montes Claros e BH. Senti algum cansaço (psicológico, creio…) na passagem por Betim, região metropolitana da capital mineira, mas estava de fato suficientemente bem para cumprir o plano do dia. Desde ali, já transitava na Rodovia Fernão Dias (BR-381), que liga BH à cidade de São Paulo. Autopista pedagiada, muito bem conservada e segura, mesmo à noite. Contrariando as minhas próprias recomendações de prudência, cheguei à cidade de Lavras (MG) pouco depois das 22h, morto de fome. Mesmo em território mineiro desde a manhã, só passei a considerar o horário de verão (1h adiantado em relação à Bahia) ao deitar na cama.

28/12/2010 – 3ª feira

Sob fuso horário, levantei às 09h. Tomei um farto café da manhã e deixei o hotel. Tive a impressão de que o motor do carro trepidava excessivamente, e fazia um barulho anormal. Sempre penso isso quando ligo o motor, após uma madrugada fria, como foi a anterior. Felizmente, foi só impressão mesmo. Parti depois das 11:30h, desfrutando da Autopista Fernão Dias, quase vazia. Fiz uma pausa em Atibaia (SP) e depois atravessei a grande capital, buscando uma boa oficina especializada em off-road. Já estava disposto a dormir na cidade, caso fosse possível observar alguns ajustes na preparação do carro, mas as casas bem recomendadas estavam fechadas em recesso natalino. Fiz uma pausa no município de Embu (SP) e, na sequência, voltei à BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt), fazendo um belo tour pela Serra do Mar, com luz natural até as 20:30h. O odômetro do meu carro comemorou seus primeiros 200.000km rodados. Cheguei à cidade de Curitiba (PR) depois das 23h, sem sono, apesar do cansaço físico. Mais um jantar improvisado e um tempinho para leitura selecionada antes de dormir.

29/12/2010 – 4ª feira

Passei a manhã em Curitiba, atrás do tal “cambão”, peça para reboque exigida para os veículos estrangeiros que circulam pela Argentina. Depois de devastar Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, São Paulo e Curitiba, descobri que seria muito mais fácil fabricar o brinquedo. Segui pela BR-116 até Mafra (SC), onde descobri à beira da estrada um torneiro mecânico (um velhinho simpático, descendente de alemães) que se prontificou a fabricar o cambão: R$ 50,00. Impecável! Só não pintou porque não daria tempo.

BR-280, entre Mafra-SC e Porto União-SC, 29/12/2010

BR-280, entre Mafra-SC e Porto União-SC

Pela BR-280, segui até a bela cidade de Porto União (SC), de onde tomei a BR-153 na direção de Erechim (RS). Em boa parte do tempo prefiro dirigir em silêncio, atento aos sons do carro e da estrada. Vez por outra ligo o som, quase sempre interessado nas transmissões de rádio AM, que revelam humoradamente a alma de cada lugar. Nesta noite captei uma rádio de Posadas, Argentina, que apresentava um programa policial cheio de vinhetas divertidas e depoimentos dos ouvintes, cortados por uma animada música regional. Um jeito gostoso de sentir a mudança dos ares.

30/12/2010 – 5ª feira

Amanheci em Erechim (RS), com algumas pendências para resolver, já que provavelmente aquela seria a última parada no Brasil: a montagem do kit de primeiros socorros para o carro (outra exigência argentina), saques bancários, pagamentos. Saí da cidade às 12h. Almocei numa churrascaria em Ijuí (RS). 28ºC que praticamente não mudaram desde Salvador (BA). Segui dali até Uruguaiana (RS) num tráfego absolutamente livre pelas BR-285 e 472, passando por Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga e São Borja. Cruzei a Ponte Internacional Getúlio Vargas-Augustín Justo, Uruguaiana-Paso de Los Libres, às 19:45h, sob um sol ainda vigoroso. A passagem pela alfândega foi rápida e sem burocracia. Desci do carro no centro da pequena cidade argentina, disposto a dar uma volta pelas ruas principais antes de me estabelecer num hotel. Quem esperar “Libres” como um lugar atraente para as compras pode se decepcionar. Ao contrário de outras cidades de fronteira, a “zona franca” não é farta em eletrônicos ou perfumes. Até as opções de roupas são bem limitadas. Instalei-me no hotel Alejandro 1º, quarto 210, com vista privilegiada para o Brasil. Jantei no restaurante do hotel mesmo, ao som de uma rádio de flash-backs internacionais, na linha da Antena 1. Fui dormir satisfeito por ter 85% da primeira etapa da missão cumprida.

Paso de Los Libres (Argentina) - Uruguaiana (Brasil), 30/12/2010

Vista de Paso de Los Libres (Argentina) – Uruguaiana (Brasil)

© Todos os direitos reservados

Anúncios

2 comentários sobre “Meu caminho até a Argentina

  1. Uiaa!!
    ainda bem que você é consciente do cansaço físico do corpo. Mas mesmo assim me parece ter sobrecarregado um pouco.

    Feliz porque foi uma viagem tranquila e segura, e que você está bem para cumprir os outros 15% da Expedição com ainda mais tranquilidade!

    Feliz Ano novo, e aguardo mais resenhas ^^

    :***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s