Ex-votos do Meio Norte

Cruzeiro do Morro dos Três Irmãos, Jaicós-PI, 18/04/2011

Cruzeiro do Morro dos Três Irmãos, Jaicós-PI, 18/04/2011

Entre os dias 17 e 25 de abril de 2011 expandi o campo de observação da pesquisa para os  estados do Piauí e do Maranhão. Antigo desejo, os dois representantes do outrora “meio norte” não foram contemplados no estudo que resultou na minha tese, concluída em 2007, e em todas as outras incursões dos anos seguintes. Por serem mais distantes, na época preferi limitar o recorte ao que chamei de “nordeste oriental” do Brasil (Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará). Creio que agora a justiça foi feita e a região Nordeste já pode ser referida integralmente.

Antes da partida, compilei uma infinidade de espaços votivos, de naturezas diversas: devoções canônicas ou não, sítios como igrejas, cemitérios, santuários, “alminhas” e cruzeiros de acontecido, celebrações e muitas narrativas. Coisa pra mais de um mês de trabalho intensivo. Na impossibilidade de observar tudo aquilo na primeira visita, optei pelos sítios mais expressivos dentro dos contextos que são mais importantes agora. Destaco duas localidades: Jaicós-PI (Cruzeiro do Morro dos Três Irmãos) e Pedreiras-MA (Mãe Marcelina). São referências de primeira ordem, que faltavam na revisão de duas das mais tradicionais fontes sobre as práticas votivas na região Nordeste: a Missão de Pesquisas Folclóricas-1938 (em texto de Luís Saia, “Escultura popular brasileira”, 1944) e os escritos de Luís da Câmara Cascudo (“O povo faz seu santo”, 1974).

Além delas, coletei um vasto material em Oeiras-PI (Bom Jesus dos Passos), Floriano-PI (Nossa Senhora da Guia), Amarante-PI (Finada Auta Rosa), Teresina-PI (Motorista Gregório), Campo Maior-PI (Monumento e Cemitério dos Heróis da Batalha do Jenipapo), Barras-PI (Finada Noiva Alda), Codó-MA (Pardinha) e São José de Ribamar-MA (São José de Ribamar). Não alcancei alguns casos (Homem do Carcará, Escrava Felicidade) mesmo após insistentes procuras e observei outros sítios de forma menos sistemática, que serão todos devidamente inventariados em próximas oportunidades.

Vale a menção aos sítios publicados nesta rede pelos “Caçadores de Milagres”, grupo formado por estudantes de Comunicação do Centro Universitário de Teresina (CEUT), cujo trabalho tem como base os conceitos de Luiz Beltrão sobre a Folkcomunicação que, entre outros campos, estuda os ex-votos como veículo jornalístico. O grupo contribui de forma notável para a preservação e difusão das práticas votivas populares no estado.

Viajei mais uma vez de automóvel, orientado por dois aparelhos GPS (um Garmin e-Trex Venture, como aparelho de mão e um Orange G420Slim para navegação urbana), além dos infalíveis Guias 4 Rodas. Estradas em condições muito boas (exceto trecho da BR-135 entre São Mateus do Maranhão e São Luís-MA), apesar das chuvas torrenciais e dos nada prudentes motoqueiros.

© Todos os direitos reservados

Anúncios

9 comentários sobre “Ex-votos do Meio Norte

  1. Adooorooo!

    Ah, sim sim você deveria ser patrocinado, daí teria mais e mais lugares para ir e apresentar para nós todo o seu material de trabalho.

    abs.

  2. Prezado colega,
    estou desenvolvendo uma pesquisa para o projeto de mestrado na UERJ sobre os ex-votos escutóricos da Bacia do Médio São Francisco, coleção esta doada pelo colecionandor Franco Terranova no Rio de Janeiro. Conheço a expedição de Luis saia a qual se refere. Gostaria da possibilidade de ter acesso a sua dissertação ou tese, caso seja pertinente ao tema, ou a leitura de alguns capítulos. É possível responder-me apontando alguns textos acadêmicos ou bibliografia sobre os es-votos escultóricos do nordeste? Parabéns pelo artigo.
    Atenciosamente

    Atenciosamente
    Henrique Guilherme Guimarães Viana – RJ
    e-mail: gg.viana@yahoo.com.br

  3. Prezado Luis,
    Primeiramente, parabéns pela pesquisa. Gostaria de saber se você pode me orientar com relação a bibliografia sobre cultura, história e aspectos sociais do Piauí. Sou estudante de jornalismo e me interesso sobre o que se passa nesse Estado, mas não sei quais fontes devo consultar para minha pesquisa.

    • Obrigado, Marisa!
      Faz tempo que você escreveu, mas nunca é tarde para uma resposta.
      Infelizmente não tenho muitas fontes sobre a história e cultura do Piauí. Conheci o estado neste ano de 2011 e fiquei muito entusiasmado com tantas narrativas interessantes sobre os mitos e devoções populares. Certamente voltarei outras vezes, até porque o meio-norte é um dos meus próximos focos de pesquisa. Soube da disponibilidade de boas informações (livros, catálogos, etc.) – que infelizmente não tive condições de visitar, quando da minha visita – na Academia Piauiense de Letras. Espero que ainda seja tempo de você buscar melhores informações. Boa sorte no seu estudo.
      Um abraço e obrigado pela visita.

  4. Boa tarde…
    estou fazendo um levantamento dessas devoções não canônicas no maranhão para meu projeto de mestrado. caso queria mi ajudar com algumas referências suas para fundamentar meu projeto ficaria muito grato

    • Ok, Maurivan. Por onde podemos começar? Estive apenas duas vezes no Maranhão, que com certeza ainda merece algumas outras incursões. Apesar da presença ativa de práticas votivas em algumas localidades, os cultos não-canônicos não foram tão expressivos quanto em outros estados da região, ao menos a partir de mapeamentos com base em fontes bibliográficas e eletrônicas. Destaco o caso do Menino Pardinha, em Codó, cujo santuário estava pujante em 2011, e a não efetividade do culto à Mãe Marcelina, em Pedreiras, citado por Câmara Cascudo, mas, até onde consta, inativo nos dias atuais. Soube de alguns cruzeiros dedicados às santas almas, pontualmente, mas ainda não tive a oportunidade de visitar. Do ponto de vista do referencial teórico, você pode consultar um artigo de minha autoria, disponível neste blog (“Redenções, expurgações e outros casos de reparações coletivas post-mortem nas canonizações populares da América do Sul”), onde cito alguns textos que poderão te servir de base. Vamos conversando! Obrigado e boa sorte. Abs.

  5. Obrigado por responder meu post.

    Sei que tens bastante trabalho, mais caso tenha um tempo para dar uma lida no meu projeto séria ótimo, visto que conhece bem o assunto e pode dar algumas dicas.
    Se isso for possível posso lhe enviar via e-mail o projeto irei submetê-lo ao seletivo do mestrado em Ciências Sociais da UFMA. Já tenho registro de 15 locais de devoções não canônicas no maranhão.
    Meu e-mail: maurivan.pg@hotmail.com

    grato

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s